COMO É TER UMA EMPRESA SUSTENTÁVEL NO SÉCULO 21

Sabendo que a sustentabilidade é instrumento essencial para o funcionamento de qualquer empresa no sistema de mercado concorrencial, destaca-se, portanto, a necessidade de se envidar esforços por parte dos grupos corporativos em se tornar, cada dia mais sustentáveis.

A grande questão que cerceia o funcionamento da empresa, atualmente é: como ser e se manter sustentável em pleno século XXI? Afinal de contas, os esforços serão muitos e variados para conseguir integrar a empresa nesta ronda de sustentabilidade.

Entretanto, mesmo que se pense nas dificuldades para se manter sustentável no ambiente empresarial, não se pode deixar de pensar que os benefícios poderão ser os mais variados e, se colocar na balança aquilo que se investe com o retorno de mercado, de fato, vale a pena pensar na empresa sustentável.

Aproveite e faça uma consultoria ambiental para avaliar e deixar sua empresa para ser mais sustentável e ecologicamente correta. 

Empresa Sustentável no Século 21 

Pensar, portanto, nos benefícios que decorrem da aplicação de um plano de sustentabilidade, parece ser a grande saída para os desafios que podem surgir quando das medidas sustentáveis e, por falar em benefícios, é apropriado indicar, ao menos os mais relevantes, quais sejam:

Proteção ambiental: 

Ao pensar no sistema de proteção ambiental, percebe-se que é essencial para a vida no planeta e, portanto, quanto maior for o plano de proteção ambiental, maiores serão os benefícios para toda a sociedade, pois teremos ar puro, flora e fauna equilibrados e, por fim, recursos naturais para as gerações presentes e futuras. A empresa que cuida do meio ambiente poderá ser beneficiar de várias formas com o meio equilibrando, inclusive financeiramente.

Defesa dos Direitos Humanos:

Se a empresa cuida do meio ambiente, respeita também, o indivíduo, pois coopera para o estado de bem-estar social através de uma vida ecologicamente equilibrada e pensar no bem-estar do indivíduo é respeitar a sua condição como integrante da sociedade e, consequentemente, dos Direitos Humanos.

Possibilidade de redução de custos: 

A empresa que envida esforços para aplicar medidas sustentáveis pode, sem dúvidas alguma, ter redução nos custos de produção e prestação de serviços internos.

Vejamos, por exemplo, o caso da empresa que resolve substituir o uso de material de expediente de escritório pelos softwares.

No momento em que a empresa coloca novas alternativas viáveis e, de certa forma, mais segura no sistema empresarial, tem a possibilidade de despontar não apenas nos aspectos de evolução tecnológica, mas essencial de contribuir para o meio ambiente ao passo em que reduz custos.

Reflexão sobre a cidadania: 

A empresa que traz, em seu cenário, a possibilidade de análise de novas possibilidades de funcionamento no ambiente empresarial, a partir da mudança de comportamento de seus funcionários, em virtude da conscientização, estará contribuindo para a construção de um ambiente cidadão, pois o sujeito profissional se coloca como responsável direto na aplicação daquelas medidas e, consequentemente, percebe que a realidade só mudará quando o primeiro passo for dado.

Dicas para uma Empresa Sustentável no Século 21

Sabendo dos benefícios que podem surgir, a grande questão neste momento, é pensar em quais medidas devem ser aplicadas para se atingir o ponto central da sustentabilidade empresarial e, portanto, diante da necessidade de se pensar de maneira global, propõe-se as seguintes alternativas para tornar a sua empresa sustentável:

Reflexão com toda a equipe profissional sobre a importância do plano de sustentabilidade, pois na medida que os profissionais da corporação começam a compreender a importação de todo o processo, não apenas para a empresa, mas especialmente para toda a sociedade, os resultados podem ser valiosos para o desempenho da empresa.

O importante, nessa etapa, é saber que a mudança de comportamento individual influenciará a coletividade da empresa. Percebe-se que o esforço inicial deverá ser individual, onde em seguida fará parte do esforço coletivo.

Investimento em tecnologias avançadas para redução dos custos nas atividades da empresa, pois muitas das atividades que são desempenhadas hoje, como é o caso da comunicação entre setores pode ser realizada via e-mail ou outros sistemas informáticos e, isso contribui para a redução do uso de papel.

Nesse mesmo sentido, destaca-se o uso da assinatura digital e do controle digital de frequência que são instrumentos que reduzem além da burocracia, o uso do material de expediente e ainda, economiza tempo no processo.

Portanto, investir em tecnologia não é o antônimo de ostentação, pois se torna, atualmente, como mediante necessária para que as empresas consigam realizar no menor espaço de tempo, muitas atividades.

Nesse mesmo processo de investimento de tecnologia, encontra-se a aplicação de medidas que se destinam ao favorecimento direto do meio ambiente, através da redução do uso dos recursos ambientais, como é o caso da instalação de painéis solares, placas fotovoltaicas, aerogeradores, sistema de reutilização de água para atividades de irrigação e limpeza geral das dependências da empresa.

Não fazer testes em animais talvez seja uma das medidas de maior impacto na sociedade, pois muitas pessoas se recusam a utilizar produtos que, na fase de fabrico, tenham sido testadas em animais.

Outras empresas se utilizam de substâncias que acabam sendo tóxicas para o meio ambiente e, consequentemente, para a sociedade.

Nessa mesma questão encontram-se as empresas que se utilizam mão de obra escrava para a produção têxtil e, até mesmo, informática, mas que a sociedade está em total alerta para este tipo de empresa e, por isso, todos os esforços corporativos devem ser no sentido de garantir qualidade de vida, direitos humanos, ética e sustentabilidade (veja aqui qual é o tripé da sustentabilidade).

Licença para funcionamento é uma peça fundamental para a empresa, pois a existência deste documento pressupõe a validade dos atos e, consequentemente, de sua existência.

Uma empresa que não tem permissão para funcionar, irá de encontro com os preceitos normativos da sociedade e, portanto, funcionará às margens dos preceitos da sustentabilidade.

Afinal de contas, qual será o esforço que a empresa fará para cumprir as diretrizes normativas do Estado de Direito, se ela não se encontra legalizada?

Ademais, esta licença está diretamente relacionada com o tipo de estrutura física que a empresa possui, se o prédio está de acordo com as normas da local que se destina ao funcionamento.

Por fim, muito embora pareça ser complexo estar em consonância com as determinações da sustentabilidade, é apropriado pensar que o sistema faz parte das medidas para auxiliar a proteção integral do ambiente e, por fim, da sociedade.

Esse conteúdo foi desenvolvido em parceria com a Horizonte Ambiental (empresa especializada em oferecer serviços ambientais para empresas).

error: Content is protected !!