192.168.01 – Configuração Padrão do Roteador Wi-Fi

Para utilizar os roteadores de IP 192.168.01 qualquer fabricante, os internautas sempre precisarão que uma configuração seja realizada primeiro. Nenhum dos roteadores, ainda que sejam os mais modernos, poderão permitir conexão quando não foram configurados, até mesmo os que forem utilizados no estilo ADSL.

As configurações são diferentes a partir de qual é o roteador que o indivíduo adquiriu. Porém, as diferenças que o painel de configuração apresenta não afetam os momentos mais importantes, como o “mode”.

De toda maneira, é fundamental que os clientes que têm os roteadores e que vão configurá-los tenham tanto o manual de instruções quanto consigam utilizar o 192.168.01.

É verdade que a numeração que foi escrita agora é um pouco diferente da que os internautas leram antes: o 192.168.01. Qual será a razão para elas serem diversas?

Na verdade, não se pode falar que elas são diferentes porque a primeira delas sequer existe: o único endereço de configuração que se pode utilizar, dentre eles, é o 192.168.0.1.

Na Informática, cada endereço que se coloca no computador ou em qualquer outro dispositivo tem de ser bastante correto para que a operação não seja impedida.

Isso ocorre frequente quando as pessoas estão configurando qualquer roteador está sendo configurado e um motivo é que os endereços de Internet Protocol têm, efetivamente, certa complexidade.

Com isso, o que os técnicos de Informática ofertam como recomendação é sempre ter o 192.168.0.1 anotado para que não se coloque nenhum elemento errado e, com isso, não se estrague o endereço de configuração.

192.168.01 - roteador wifi

As pessoas podem usar o 192.168.01 sozinhas ou é preciso um técnico?

As configurações dos roteadores não são processos que exijam sempre um técnico de Informática. A empresa que pode oferta-los com mais frequência são as provedoras de Internet e não as fabricantes: para que a fabricante de algum roteador encaminhe um técnico, é importante que o aparelho tenha qualquer defeito.

O que é necessário para que os clientes consigam configurar utilizando o 192.168.01, sempre corrigido, é saber onde ele é inserido para que o painel de configuração seja apresentado. Do mesmo modo, vai ser obrigatório que essas pessoas possuam também um login, considerando que a fabricante não libera qualquer configuração sem que se tenha uma identificação.

Mais alguns elementos que vão ser fundamentais na hora de colocar o roteador em funcionamento é o navegador e ainda cada um dos seus cabos, sem os quais também não se pode começar a configuração. Esses cabos costumam estar com o equipamento, mas também podem ser comprados quando se trata de um aparelho usado e p mais importante deles é chamado de Ethernet. O segundo é um cabo mais fino (na realidade, um fio) que vai conectá-lo ao telefone.

Mencionar o telefone é bom para relembrar os clientes de que as provedoras costumam requerer que se tenha algum. No caso dos que adquirem as conexões que são de operadoras de celular, é mais comum que seja um roteador menor e que se assemelha bem a um pen drive: por causa disso, o telefone não é requerido, nem os cabos.

O 192.168.01 é usado de que forma?

Considerando que o internauta já esteja com o 192.168.0.1, com a devida correção, ele vai abrir o seu navegador e ir até a barra de navegação. Ali, ele pode escrever esse Internet Protocol e pode colá-lo, o que é a solução mais recomendada porque evita aqueles equívocos que foram citados no começo.

Com o enter, os internautas vão ao painel de configuração, que vai ser apresentado como se fosse qualquer site. Nas caixas de diálogo, as pessoas deverão colocar a sua senha e o seu nome de usuário. Com o acesso feito, existirá um menu no alto ou em algum dos lados, sendo ele dividido em algumas abas.

Cada uma das abas que os internautas virem terá um conjunto de configurações que esses indivíduos poderão modificar. Importa esclarecer ainda que algumas dessas abas vão ter elementos que não se poderão trocar. Por isso, é possível que o 192.168.01 apresente algumas funcionalidades que são limitadas nesse contexto, embora a responsabilidade, ou seja, o veto, seja da fabricante.

Toda vez que o internauta modificar algum item no seu painel de configuração, ele vai ter de salvar. Um detalhe é que alguns fabricantes colocam essa opção em cada tela e outros colocam um “salvamento geral” quando a configuração acaba. Por isso, os usuários têm de atentar: se for um “salvar” a cada tela e ele não vir, vai perder a configuração.

A configuração do wireless vai depender da configuração do “mode” antes, que precisa ser o PPPOE. O “mode” é uma das funcionalidades e ressalta-se que  é difícil localizar algum roteador que tenha um diverso do PPPOE, embora a confirmação seja recomendada e usa-se o manual de instruções para isso.

Tratando-se da configuração do wireless em si, ela é em duas partes, mas a segunda é dispensável. A primeira é o nome de rede e esse sim é o elementar para que qualquer roteador libere a rede. Quando se fez o nome de rede, então as pessoas vão, se quiserem, colocar alguma senha também.

Não desejando por senha, basta que se conecte a partir do clique no nome da rede quando estiver no dispositivo móvel ou mesmo no computador.

Quando o 192.168.01 apresenta problema?

O contexto no qual esse Internet Protocol não vai poder ser utilizado é quando o roteador wi-fi tem o seu IP para configuração. Porém, isso é identificado quando se vê a etiqueta. Possivelmente, o manual de instruções também traz isso determinado.

Um cuidado referente ao funcionamento é para os dispositivos móveis, porque eles podem demorar um pouco a reconhecer quando uma rede wireless está instalada. Na realidade, alguns dispositivos reconhecem, mas eles não deixam que o acesso ocorra por causa da autenticação.

Nesse momento, os usuários não precisam modificar nada no seu roteador: o indicado é que eles reiniciem o seu dispositivo móvel e que aguardem. Além disso, pode-se desligar por segundos a função de buscar as possibilidades de wi-fi.

Deixe um comentário

error: Content is protected !!